Redes Sociais

Quem faz a OBR?

A organização da OBR está estruturada de modo a permitir sua difusão pelos estados brasileiros. É constituída por professores, cientistas e doutores na área de robótica e tecnologia das maiores e melhores universidades públicas e particulares do Brasil, que atuam voluntariamente com objetivo de estimular os jovens às carreiras científico-tecnológicas, identificar jovens talentosos e promover debates e atualizações no processo de ensino-aprendizagem brasileiro.

Conselho Superior

A gestão é feita pelo Conselho Superior, que tem a missão de gerir e realizar a OBR ao longo dos anos. É a mais alta instância da OBR. Todas as decisões implementadas são discutidas e tomadas de forma coletiva pelos seus membros.

Bianualmente, um coordenador geral e um vice-coordenador são escolhidos pelo Conselho Superior para gerenciar as atividades da OBR e representá-la junto aos órgãos de fomento federais e outras instituições.

Coordenação Geral

A Coordenação Geral da OBR é o órgão executivo máximo da OBR. Cabe ao Coordenador Geral tomar todas as decisões administrativas e operacionais da olimpíada. O coordenador é responsável por atividades como: divulgação, alterações no sistema de informática, seleção ou destituição de membros da organização local, gerência dos diferentes comitês da OBR, liberação das provas teóricas e práticas, alterações no status da olimpíada, gerenciamento de recursos, contratação de serviços ou produtos, liberação de certificados e medalhas, contatos com todas as representações estaduais no país, gerência da conta de e-mail da OBR, entre muitas outras atividades. Como isso representa um volume de trabalho consideravelmente grande, esse coordenador normalmente é assessorado por um(a) secretário(a), um(a) Coordenador(a) Administrativo(a) e outras coordenadorias específicas.

Os coordenadores de modalidade, Prática e Teórica, executam as atividades específicas de suas modalidades em conjunto com o Coordenador Geral.

O coordenador da Modalidade Teórica é quem coordena o processo de elaboração, aplicação e correção das provas, preside os comitês que elaboram e certificam provas e resoluções, define as notas de corte para premiação e classificação para a Fase II, organiza a distribuição das medalhas e indica os classificados para o minicurso.

O coordenador da Modalidade Prática, juntamente com os representantes estaduais, indica as instituições-sedes que realizarão as etapas regionais e estaduais. Deve manter as regras das regionais/estaduais sempre atualizadas e acompanhar todo o desenvolvimento das competições nos estados. Ele também é o responsável por gerenciar a etapa nacional da modalidade, estabelecendo as regras, coordenando a equipe de juízes e voluntários e ratificando os resultados.

Gestão nacional da OBR

SECRETARIA

Para informações ou contato com a OBR utilize preferencialmente o e-mail
organizacao@obr.org.br ou preencha o formulário online em Contato.

Endereço da Secretaria:
OBR – Olimpíada Brasileira de Robótica
GASI – Grupo de Automação e Sistemas Integráveis
UNESP – Campus de Sorocaba
Av. Três de Março, 511   –  Alto da Boa Vista
18.087-180   –   Sorocaba, SP

COORDENAÇÃO GERAL

Coordenadora Geral:
Profa. Dra. Tatiana de Figueiredo Pereira Alves Taveira Pazelli (UFSCar)

Vice-Coordenador Geral:
Prof. Dr. Rafael Vidal Aroca (UFSCar) 

Coordenadora da Modalidade Teórica:
Profa. Dra. Cintia Kimie Aihara Nicoletti (COTUCA – Unicamp)

Coordenadora da Modalidade Prática:
Profa. Daniele Ortiz Hoffmann Bonicio (SESI/SP)

Coordenadora Administrativa:
Luciana Piccinini

Secretária Administrativa:
Susana Pires da Rocha

CONSELHO SUPERIOR

Prof. Dr. Luiz Marcos Garcia Gonçalves (UFRN)

Prof. Dr. Alexandre da Silva Simões (UNESP)

Prof. Dr. Flavio Tonidandel (FEI)

Profa. Dra. Silvia Silva da Costa Botelho (FURG)

Profa. Dra. Esther Luna Colombini (UNICAMP)

Profa. Msc. Carmen Ribeiro Faria Santos (UFES)

Prof. Dr. Reinaldo Augusto da Costa Bianchi (FEI)

Prof. Dr. Aquiles Medeiros Filgueira Burlamaqui (UFRN)

Prof. Dr. Rafael Vidal Aroca (UFSCar)

Representação Estadual

A Representação Estadual compreende um representante e sua instituição de ensino formalmente autorizada pelo Conselho Superior a representar a OBR no estado.

As Representações Estaduais e seu responsável, o representante estadual, atuam diretamente com a Coordenação Geral da OBR por intermédio dos Coordenadores das Modalidades Teórica e Prática, sendo responsáveis pelo sucesso da Olimpíada em seus estados. Os Representantes Estaduais devem ser, preferencialmente, professores doutores de Instituições de Ensino Superior ligados diretamente ou indiretamente à área de Robótica. Não devem fazer parte da representação estadual qualquer membro de qualquer instituição participante da OBR, salvo em casos especiais de indisponibilidade que devem ser avaliados pela Coordenação Geral.

Os representantes estaduais são candidatos naturais a assumir cargos no Conselho Superior da OBR, bem como assumir funções na coordenação nacional e integrar o grupo de professores que fomenta e dissemina a robótica em prol de um futuro melhor ao Brasil.

Dentre as atribuições do Representante Estadual estão divulgar a OBR no estado, definir as datas, detalhes e estrutura das competições regionais e estadual da Modalidade Prática, indicando os Coordenadores de Evento Local, definir as sedes regionais para aplicação da Fase 2 da Modalidade Teórica, indicando os Coordenadores de Fase Local, e atuar ativamente para otimizar os resultados de seu estado. Os Representantes Estaduais da edição 2018 estão listados na página REPRESENTAÇÕES ESTADUAIS.

Conselho Estadual

Diferentemente da Representação Estadual, que não permite membros nem instituições ligadas a equipes participantes da OBR, o Conselho Estadual é formado por professores participantes da Olimpíada. É constituído por um Coordenador e até 6 membros que são eleitos pelos seus pares para 2 (dois) anos de mandato extensíveis por mais 2 (dois) anos. O Conselho Estadual tem formação e organização independente da Coordenação Geral e da Representação Estadual e tem caráter consultivo e propositivo. Seu objetivo é apoiar o Representante Estadual na divulgação e organização dos eventos no estado, captação de recursos e discussão de assuntos específicos da OBR no estado.

Coordenador de Evento Local

O Coordenador de Evento Local é indicado pelo Representante Estadual ao definir a distribuição de sedes quando houver a necessidade de Etapas regionais no estado, sendo responsável pela infraestrutura e pelo local onde deverá ocorrer a modalidade prática no estado. Idealmente deve estar ligado à Instituição-sede que irá sediar a competição regional. A Instituição-sede será indicada pelo Representante Estadual a partir da lista de instituições candidatas e da distribuição de equipes inscritas pelo estado.

A Instituição-sede deve dar o aval à realização do evento, sendo corresponsável pelo sucesso da competição assim como o Coordenador de Evento Local. Instruções de como organizar o local do evento podem ser encontradas na página COMO ORGANIZAR UM EVENTO DA MODALIDADE PRÁTICA.

Informações sobre local, horários e detalhes sobre os eventos das Etapas Regionais/Estaduais do seu estado estarão disponíveis na página ETAPA REGIONAL/ESTADUAL assim que definidas pelo Representante Estadual.

 

Comissão de Arbitragem

A Comissão de Arbitragem, ou Comissão de Juízes, é formada para conduzir a Modalidade Prática estadual ou regional. O presidente da Comissão de Arbitragem é escolhido pelo Representante Estadual e deve, preferencialmente, ser de uma instituição diferente do Coordenador de Evento Local. Os demais membros da Comissão de Arbitragem serão pessoas convidadas pelo Coordenador do Conselho Estadual, com anuência e concordância do Representante Estadual e dos demais membros do Conselho Estadual.

Coordenador de Fase Local

O Coordenador de Fase Local é indicado pelo Representante Estadual ao definir a distribuição de sedes regionais para aplicação das provas da Fase 2 da Modalidade Teórica. Entre suas atribuições estão a organização do local e infraestrutura, a recepção dos estudantes classificados e direcionados à sua sede regional, e a disponibilização, aplicação e correção das provas da Fase 2 da Modalidade Teórica. Idealmente, deve estar ligado à Instituição-sede que irá sediar a aplicação das provas da Fase 2 da Modalidade Teórica. A Instituição-sede será indicada, sempre que possível, a uma Instituição de Ensino Superior.

A Instituição-sede deve dar o aval à realização do evento, sendo corresponsável pelo sucesso da ação assim como o Coordenador de Fase Local. Instruções de como organizar o local do evento podem ser encontradas na página COMO ORGANIZAR A APLICAÇÃO DA MODALIDADE TEÓRICA.

A Fase 2 da Modalidade Teórica acontece apenas para estudantes de Nível 5 classificados e será realizada no dia 24 de agosto de 2018. Os locais de aplicação da Fase 2 da Modalidade Teórica serão definidos após os resultados da Fase 1, em julho.

Professor/Tutor Responsável

O Professor/Tutor Responsável é aquele que realiza as inscrições dos estudantes sob sua guarda na OBR e atribui a cada um deles a modalidade que têm interesse em participar. O Professor/Tutor Responsável pode estar vinculado a diferentes instituições de ensino, desde que possua autorização formal para representá-las e a seus alunos na OBR, ou ainda ser responsável por uma “Equipe de Garagem”, e nesse caso, possuindo autorização dos responsáveis legais dos participantes que representar. O Professor/Tutor Responsável não é indicado ou selecionado pela Coordenação da OBR, mas pela instituição de ensino participante.

Dentre as atribuições do Professor/Tutor Responsável estão o gerenciamento das inscrições, a criação das equipes para participação da Modalidade Prática, a divulgação e o compromisso de cumprimento das regras da OBR junto aos estudantes, a aplicação e correção das provas da Modalidade Teórica – Fase 1, o cumprimento dos prazos estabelecidos para envio de resultados, entre outras estabelecidos no Termo de Participação aceito no ato de inscrição.

Principalmente, o Professor/Tutor é o responsável por transmitir diretamente aos estudantes a alegria e a satisfação do aprendizado, da cooperação entre equipes e entre organizadores e da inclusão tecnológica envolvidas pela participação na Olimpíada Brasileira de Robótica.

Mais Voluntários

Praticamente todas as funções mencionadas nesta página são realizadas por voluntários entusiastas de robótica. Para que a OBR aconteça, precisamos de ainda mais pessoas que possam realizar voluntariamente atividades de organização, secretaria, infraestrutura, montagem/desmontagem dos eventos, juiz de arena, juiz de entrevista, dentre outras.

Venha ser um voluntário e ajudar a OBR a crescer e a disseminar a ciência e tecnologia pelo Brasil!

Por definição, voluntário é a pessoa que doa seu tempo e talento em prol de causas que contribuem para a melhoria da qualidade de vida das pessoas sem qualquer remuneração ou lucro. Além da experiência de participar do maior evento de robótica da América Latina e um dos maiores do Mundo, o voluntário da OBR terá a oportunidade de conhecer novas pessoas que também adoram robótica e participar de novas experiências que ficam marcadas para toda a vida. As oportunidades e os requisitos para participar como voluntário na OBR estão disponíveis na página PROGRAMA DE VOLUNTARIADO.

Realização:

Apoio: